domingo, abril 26, 2009

Avanço do mar deve preocupar !

.
Apesar da grande faixa de areia, o mar avança sob o litoral norte de Ilhéus em rítmo acelerado. A construção do Porto Internacional do Malhado agravou a situação, que pode piorar com os novos aterros em curso, e a construção do Porto Sul.
.
Ano após ano, o mar avança em várias partes do litoral brasileiro, e não sabemos direito suas causas, e nem quais serão as consequências a longo prazo. Ilhéus é um dos municípios brasileiros, onde esse fenômeno vem acontecendo de forma regular, e com muita intensidade.

Aquecimento global, mudança do clima, correntes marinhas, impacto ambiental, não se sabe ao certo o que está acontecendo, e falta pesquisa e um monitoramento adequado, sobretudo, dos prejuízos que o fenômeno vem causando ao patrimônio público e privado.
.
Os coqueirais tombam diante do mar aberto de Ilhéus, cuja linha de maré avança ano a ano, desbarrancando e engolindo a restinga.
.
De certo, não existe uma única explicação para o avanço do mar, e são várias as suas causas. O fato é que ele está avançando em vários pontos do litoral brasileiro, especialmente no litoral do Rio de Janeiro, São Paulo e no litoral nordestino.
.
As causas podem estar fundamentadas em fenômenos naturais, como o avanço e recuo períodico do mar em determinadas áreas, nesse caso, estamos apenas sendo castigados por ocupar áreas de risco e de conservação dos ecossistemas naturais. Outra causa está relacionada aos impactos ambientais decorrentes do aterro de áreas marinhas para construção de portos e expansão de zonas urbanas.


Mas, o aquecimento global é o que mais nos aflige e deve preocupar o governo e a sociedade, quanto ao futuro de cidades como Macaé (RJ) e Ilhéus (BA). Em Ilhéus acompanhamos o esse fenômeno a vinte e dois anos, e, em um trecho de 20 quilômetros, entre a cidade e a Ponta da Tulha, o mar vem invadindo a restinga em ritmo acelerado, e não sabemos prever os danos que podem provocar nos próximos anos.

Ilhéus está citada nos estudos do Macro-Zoneamento Costeiro como uma área de risco. Aqui, estamos vivenciando as várias causas desse problema, seja pelos impactos ambientais da construção do Porto Internacional do Malhado, ou seja pelo avanço implacável do mar em todo o litoral norte do município por outras causas, ainda não identificadas.
.

Moradores tentam de tudo para não perder suas casas, mas o mar é mais forte, e o que parece não estar acontecendo, finalmente acontece, estrago e desolação.


                                          

No início da rodovia Ilhéus-Itacaré, o mar destruiu o passeio e cabanas, causando prejuízos à comunidade e ao projeto das cabanas financiados pelo Banco do Nordeste a pequenos comerciantes.
.

Localizado nas proximidades do Porto Internacional do Malhado, o bairro ilheense de São Miguel não para de perder espaço para o mar. Três ruas foram extintas, mas, mesmo assim, uma grande área marinha está sendo aterrada atualmente no porto. Está embargada, e sua conclusão vai agravar ainda mais o drama do Bairro de São Miguel.


A casa das fotos (acima e abaixo) é mais uma condenada a desaparecer, e que seus moradores desistiram de lutar contra o avanço do mar em 2009. Vamos insistir na mobilização da opinião pública para que o porto seja responsabilizado pelos danos ao patrimônio privado que vem sendo causado. Não é imoral e ilegal que uma obra pública destrua o patrimônio material dos cidadãos sem nenhum ressarcimento?


Mais aterros e mais a situação da Baía da Barra, que  nos últimos dez anos, se tornou visível, e que se reflete na navegabilidade, pesca e vida das pessoas. O concerto custa caro.


VEJA MAIS INFORMAÇÃO SOBRE O AVANÇO DO MAR NO BRASIL NOS LINKS:

3 comentários:

Efigênia disse...

Oi, Paulo!
Seu trabalho é dez...

A reportagem muito oportuna; as fotos, maravilha; a música,e os slides, excelência!!! Ainda há muito o que explorar, haja tempo para apreciar tudo.

Pelo jeito as atividades antrópicas estão acelerando de forma brusca, as mudanças da feição planetária. Tenho a impressão que chegamos tarde...

Abração
efigênia

Anônimo disse...

Não conhecia o seu blog. Agora comecei a acessar o mesmo e acho muito interessante e oportuna a sua idéia.

Estou conhecendo e gostei muito. Inclusive essa denúncia sobre o avanço do mar vc poderia fazer um resumo com 2 a 4 fotos e publicar em nossa revista na próxima edição?

É um problema grave e pode piorar!
Estamos juntos no mesmo barco, disponha da nossa humilde Folha da Praia e também do nosso site


Roberto Santanna

Anônimo disse...

Olá, Paulo Paiva. Bem, estou tentando desenvolver um projeto na escola onde trabalho (sou professora) relacionado ao avanço do mar, porém não há muitos recursos (bibliografias). Caso você possa me citar alguma, eu agradeço, antecipadamente. Fernanda. Meu e-mail: dinhacavalcanti@yahoo.com.br