quarta-feira, julho 21, 2010

Sua Majestade do Violão, Saul Barbosa.

EU AINDA ESPERAVA TANTO, MAS O PROJETO É DE DEUS E AGORA É COM ELE . SAUL BARBOSA FEZ SUA PASSAGEM NA MADRUGADA DO ÚLTIMO DIA 15 DE SETEMBRO AOS 58 ANOS. COMO ACREDITAR QUE SAUL BARBOSA, E TANTOS OUTROS AMIGOS NÃO ESTÃO MAIS AQUI NESSE MUNDO? NEM O SAUL BARBOSA, NEM O JONGA FIALHO, GUITARRISTA DE PRIMEIRA QUE APARECE NA FOTO ACIMA NO CANTINHO DA PORTA DETRÁS DO PALCO, ADMINIRANDO NOSSO MAESTRO DAS CORDAS; TAMBÉM O NOSSO MÁRCIO MONTARROYOS, QUE TOCOU NO DISCO DE SAUL E QUE TAMBÉM NOS DEIXOU... ACREDITAR NA AUSÊNCIA DELES É IMPOSSÍVEL, PORQUE NOS SENTIMOS A PRESENÇA DE QUEM NOS TRANSMITIU COISAS BOAS NESSA VIDA. ESSE É O JARDIM DAS SAUDADES QUE MORA NO CORAÇÃO DO HOMEM, CAMINHO DO AMOR ATÉ O FELIZ REENCONTRO NO JARDIM DAS BELAS FLORES.

POSSUO UM ACERVO DE FOTOS DE SAUL BARBOSA E UMA PEQUENA PARTE DE SUA LEGIÃO DE AMIGOS, PARCEIROS E ADMIRADORES DURANTE OS ANOS QUE CONVIVEMOS EM ILHÉUS, E DURANTE A GRAVAÇÃO DE ALGUNS DE SEUS DISCOS NO RIO DE JANEIRO. VOU ENTREGÁ-LO PRA SUA QUERIDA FILHA NENA, RESPONSÁVEL POR SUA MEMÓRIA. ALGUMAS DESSAS FOTOS E INFORMAÇÕES FORAM USADAS EM OUTRAS PUBLICAÇÕES COMO "ILHÉUS COM AMOR, DE MARIA LUIZA HEINER. MAS FIQUEI PARTICULARMENTE EMOCIONADO COM UMA SÉRIE DE 03 HOMENAGENS NO YOUTUBE (MAIS DE 800 VISUALIZAÇÕES EM TRÊS DIAS), AQUI, MESTIÇA, COM A PARTICIPAÇÃO DE MARCIO MONTARROYOS NO TROMPETE, UTILIZANDO INFORMAÇÕES E FOTOS DESSA REPORTAGEM TENDO COMO FUNDO AS MÚSICAS QUE ILUMINOU AS VIVÊNCIAS QUE DESCREVO NESSAS BREVES LINHAS.

AO LONGO DESSA REPORTAGEM VOCÊ TEM A OPORTUNIDADE DE ACESSAR VÁRIOS LINKS COM VÍDEOS DA MÚSICA DE SAUL BARBOSA. ESSAS MÚSICAS, LEMBRANÇAS, HOMENAGENS E SAUDADE FICA ENTRE NÓS, PELO AMOR QUE CAMINHA ENTRE OS CORAÇÕES, DO CÉU NÃO GEOGRÁFICO, NO MAR TRANQUILO DO AMOR, QUE SE TRADUZ PLENAMENTE EM FIRMAMENTO, COMO NESSAS HOMENAGENS TODAS, NOS JORNAIS E CORAÇÕES DAQUI E DAÍ, NOS SITES E BLOGS, CORAÇÕES E MENTES. TODOS ESTAMOS COM VOCE E SOMOS ASSIM, COMO NA SINGELA HOMENAGEM DE MAURICIO ALMEIDA.

Nesse momento de dor, quero me unir aos amigos e familiares de Saul Barbosa para lembrar de coisas boas, e assim orarmos por ele, que luta pela vida em uma U.T.I em Salvador, muito debilitado após vários anos de hemodiálise, única forma de sobrevivencia sem o esperado transplante de rins, que não aconteceu. É pedindo força pra voce, negão, que falamos de você por aqui, lembrando alguns de nossos bons momentos juntos.

O sul da Bahia tem Saul Barbosa como um de nossos maiores artistas. Desde que pegou no violão, deu sinais de ser um músico diferenciado, incomum, à frente do seu tempo. Ele é uma referência entre várias gerações. Desde as tias, professoras de música, e também avós de sua única filha, a bailarina Nena, passando pela geração de cantores como Gilberto Sena e Odralde Silva, Sabará, Americano, e outros mais novos como Délio Santiago, Ivan Bitencourt, Jonga Fialho, Renato Carvalho, Itaçuci e Paulo Souza, os músicos do realce (Quinho, João, Luiz e Paulinho Batera). Todo mundo teve algum contato, influência e aprendizado com a música de Saul.

Saul Barbosa sabia o que queria desde que descobriu o violão, e ele fez do violão o seu caminho, e seus amigos, aqueles que acreditavam na sua música e no seu violão. E que música extraordinária Saul criou, e ele sabia disso, e sempre fazia questão de ser ouvido, mesmo tocando em um barzinho barulhento. E ele merecia mesmo, o silêncio e os ouvidos, o respeito a sua música.

Por volta de 1985, época em que foram produzidas algumas dessas fotos, Saul tinha um caderno gasto que já tinha 120 composições em parceria com diversos intelectuais poetas, sempre os melhores, como Jorge Portugal, Capinan, Jaime Sodré e Orlando Santa Helena. O que chamava atenção era a qualidade da música e dos versos, e o casamento perfeito entre ambos.

Ele não se cansava de tocar aquelas músicas e dedilhar o seu violão. Ficava horas tocando, compondo, repetindo sequências e improvisando. Mas não gostava de tocar pra ele mesmo, gostava sim, de tocar para os amigos, de ter alguém ouvindo suas musicas, e se haviam ouvidos atentos, não tinha hora pra parar de tocar, nem noite que não se prolongasse.

Saul queria que todo mundo fosse músico, tocasse violão, aprendesse a ouvir música, e entendesse sua beleza. Professor de violão meu e do povo de Ilhéus, e também meu amigo, me incentivou com um gesto extraordinário, repassando dezenas de contatos telefônicos dos melhores músicos do Rio de Janeiro, e até ousou me presentear com uma parceria, o frevo "Coisas a Brasileira", gravado no disco Movimento.

Saul da orquestra e do trio elétrico nos melhores carnavais de rua de Ilhéus - O surgimento de Saul Barbosa no cenário musical é um fato inusitado na terra do Axé, do requebra e do "rebolation". Mais inspirado nos rigores técnicos dos grandes violonistas como João Gilberto, Saul seguiu seu próprio caminho, passeando por valsas, tangos e pelo jazz, sem deixar o "swing" baiano, o rebolation.

A música lhe deu seu espaço no mundo, lhe deu asas e escolheu seus amigos, e assim se posicionou no palco dos grandes músicos. No Rio de Janeiro, quando trabalhamos juntos, gravou com uma geração de feras como Marcio Montarroyos, Liber Gadelha, Paschoal Meireles, Repolho, Jota Moraes, Jatobá, Xangai, Luis Melodia, dentre outros.

Mas foi em Salvador, que Saul se encontrou definitivamente com o tambor e conquistou seu espaço definitivo como músico, arranjador e produtor, voando mais alto. Fêz sucesso como compositor e produtor, e fêz parceirias com artistas como Margareth Menezes, Elba Ramalho, Jamil, Netinho, Gerônimo, Jorge Aragão, Lenine, Chico Cezar, Jauperi, Gilberto Gil, Roberto Mendes, Marcia Short, Daniela Mercury e Léo Gandelman.

Nas fotos abaixo, Saul Barbosa gravando no Rio de Janeiro com Márcio Montarroyos e com Repolho.

Foram tantos discos, tantos cantores, mas foi com Margareth Menezes que Saul fez uma dupla em brilhante sintonia da maturidade musical. Os dois viajaram o mundo em um show acústico que destacou o músico cuidadoso e sofisticado. No show e DVD "Um barzinho, um violão: Novelas Anos 70" (CONFIRA), reunindo estrelas da música no Morro da Urca no Rio de Janeiro numa homenagem a Márcio Montarroyos (coincidências? Certamente não!), Saul arrasou com Margareth, e tocou tão bem que seu violão foi escolhido para ilustrar o final do DVD.

Que bela criação ouvimos em tantos trabalhos musicais ! Lá atrás, ele já brilhava no antológico "Alto do Descobrimento" de 1980. Uma super produção cenográfica, teatral e musical da UESC, nos tempos de Soane Nazaré, coordenado por Pedro Mattos, com narração Bemvindo Cerqueira, música de Jonga Filho, violão de Saul Barbosa, e o canto de Renato e Jania Carvalho. Saul deixou um rastro de talento múltiplo dentro de sua obra. Foram centenas de composições com dezenas de parceiros, inúmeras participações em arranjos e shows. O Saul de tantos anos de dedicação, mesmo debilitado se segurou na música e em seus amigos.

Músico que enaltecia sua São Jorge dos Ilhéus, Porto Seguro, Salvador, o Pelô, o Negro e a Bahia, Saul deixa uma grande obra editada e ainda inédita, que ainda será gravado por muitos artistas, e por muitos e muitos anos brilhará. Um artista que cantou,e buscou interpretes, e conquistou cantores famosos, multiplicando emoções musicais que foram parar no fundo do baú da música baiana, e do carnaval da Bahia. Com Margareth, Saul viajou pelo mundo e emplacou músicas nas paradas como "Toté de Maingá", e numa parceria com Jorge Aragão, a deliciosa Acende a Luz com a banda Negra Cor, "Todo Menino do Pelô" foi com Daniela Mercury. E com Márcia Short?, e com Gerônimo, com esse muitas composições, e assim seguiu nosso Saul.

Espero em Deus o seu retorno meu nobre guerreiro da música, orgulho da Bahia. Sabemos que você é "Avant-gard", sempre esteve além do seu tempo musical, e foi capaz de superar muitas coisas difícies, tocando. Ficam aqui algumas lembranças nossas, enquanto ouvimos músicas inesquecíveis como "São Jorge dos Ilhéus", uma das mais belas composições que já tive o prazer de ouvir.

Em São Jorge dos Ilhéus, o poeta e sua música dizem com pefeição afetiva: "Eu sou nascido aqui nestas terras de coqueirais, de areias brancas, onde a vista não tem fim jamais..." "Preciso de você assim como eu preciso de respirar, a marezia, o cheiro doce que vem lá do mar...

"CAVALEIRO DE ARUANDA": ESTAMOS REZANDO POR VOCE !

REPERCUSSÃO ENTRE ARTISTAS BAIANOS

Margareth Menezes
"Oi gente, passei aqui para expressar minha gratidão ao meu querido amigo e parceiro de muitos anos que foi Saul Barbosa, pra sempre Saul!. Fizemos inúmeras apresentações pelo Brasil e em outros países e o melhor de tudo era a pessoa de Saul, muito especial, um amigo presente. Um compositor maravilhoso, um violonista virtuoso, musical e muito amoroso. Além do extremo bom gosto. Valeu Saul, vai embalar as estrelas!."

Netinho
"Meu eterno sogro a partir de hoje vai alegrar o céu com sua música, com sua arte. Salve Saul Barbosa. Deixa saudade, vá em paz!"

Alinne Rosa, do Cheiro de Amor
"Que triste, perdemos Saul Barbosa... grande compositor, gente boa demais! Q Deus conforte sua família..."

Vânia Abreu
"Segue minha homenagem à Saul Barbosa, que hoje nos deixou. Um vazio, um silêncio se fez na música, nas cordas do violão em casa, na Bahia! Sentiremos falta de sua música, de seu sorriso, de sua esperança! Que Deus traga conforto e paz aos seus! Muitas saudades!"

Tomate
"A Bahia amanheceu menos POÉTICA!! Meus sentimentos, Saul Barbosa."

Daniela Mercury
"Conheci Saul com 15 anos de idade e fiquei completamente inebriada com seu violão. Era um violão de solista, um violão que parecia a voz e o violão juntos. Quem dera "Todo menino do Pelô" tocasse o violão que Saul entoou.. Quem dera "Todo Menino do Pelô" tivesse a poesia profunda e bela de seu coração. Quem dera "Todo Menino do Pelô" hoje pudesse compreender a dimensão do que esse músico significou... E hoje o Pelô chorou porque Saul se despediu de nós. O tambor chorou por Neguinho do Samba, por Mestre Prego e por Saul Barbosa, esse extraordinário compositor. Amigo, te amo!"

O secretário de Cultura do Estado da Bahia, Márcio Meirelles, também lamentou a morte do compositor: “O violonista e compositor Saul Barbosa é um dos grandes nomes da música baiana. Suas parcerias com outros de nossos artistas serão eternamente lembradas. Nosso último contato foi no final do ano passado quando o artista participou da III Conferência Estadual de Cultura, em Ilhéus, sua cidade natal, onde realizou um belíssimo concerto. A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia lamenta a morte do músico e compartilha o mesmo sentimento de dor dos amigos, parceiros, familiares e artistas de todo o estado".

O cantor e amigo, Durval Lelys, falou da importância do músico e da tristeza dá notícia para o grupo Asa de Águia. “Perdemos um grande maestro, grande músico e grande amigo. Eu, particularmente, tive a oportunidade de ter contato com ele em algumas produções musicais e aprendi muito com a sua sabedoria no ramo musical. O Saul deixará para todos nós uma grande saudade, mas o seu acervo dará continuidade ao cenário artístico brasileiro”, declarou Durvalino. Em 2004, o grupo gravou a canção “Joga Água”, de autoria de Saul em parceira com Gerônimo.

Adelmo Casé da Negra Cor:
O dia foi de tristeza pra todos nós baianos, mas como ele vivia na alegria, não quero ver ninguém parado, ao mestre Saul, meu amigo e parceiro eu dedico esse show de hoje. Fique com Deus meu amigo! Em um clima de pura emoção Casé cantou o hit "Menino do Pelô", composição de Saul Barbosa em parceria com Gerônimo.

12 comentários:

Andréa Dias disse...

Nossa! não sabia dessa condição em que se encontra o Saul Barbosa!
Nesse clube do Bolinha de artistas que foi citado como acompanhados por Saul, pode incluir também Chica de Cidra, Marinalva Baiano, Silvia(que partiu fora do combinado) e Simone Pithágoras, Suze Leal e outras também de Ilhéus...
Tomara a Deus que ele realmente se recupere, pois a música ainda é muito jovem pra ficar viúva.
Parabéns Paulo Paiva, por essa homenagem a esse grande artista e melhor de tudo, ainda em vida!
Grande Abraço.

Anônimo disse...

Paulinho, muito bom saber desta homenagem, ao amigo Saul, num momento tão delicado.
Continuemos vibrando, porque, em qualquer lugar deste universo, ele sempre estará tocando e cantando, com a propriedade de sempre; e nós, seus amigos, ouvindo e aplaudindo.
Muita Paz!
Fabiana Valéria

Anônimo disse...

Apesar de não ver Saul,amigo de juventude, a um bom tempo, fico muinto triste com a noticia;musico de rara habilidade e figura humana maravilhosa;que Deus o proteja e a sua familia nesse momento difici;,são os votos sinceros do conterraneo distante,Paulo Badaró.

Paulo Paiva disse...

ESSA EU TOU DEIXANDO PELO CONDE BADARÓ, QUE FICOU ENTRISTECIDO E COM MUITO PESAR QUANDO LHE DEI A NOTÍCIA ONTEM.

PELO CONDE BADARÓ

lydia disse...

Meu eterno cunhado,amigo e irmão; iremos sentir sua falta, mas sei que o CEU está em festa, minha amada e querida sobrinha e sua neta estarão protegidas por mim. Fique em paz e com Deus. Lydia

Anônimo disse...

OI PAULINHO!

FIQUEI SURPRESA E SENTIDA COM A PASSAGEM DE SAUL TAO JOVEM E DEPOIS DE TANTO ESFORCO E LUTA PARA FICAR SAUDAVEL.
VOCE FEZ UMA MATERIA MUITO LINDA SOBRE ELE !!! PARABENS VOCE PROVA E SEMPRE MOSTROU SER UM EXCELENTE JORNALISTA PODE ACREDITAR!
VAMOS REZAR PARA QUE ELE SEJA ILUMINADO E SIGA A SUA VIAGEM COM LUZ NA ALMA. INFELIZMENTE MAIS UM GRANDE ARTISTA QUE SE FOI!
MAS DEUS SABE O QUE FAZ.
BEIJOS QUERIDO AMIGO,
SAUDADES,
FLOR - Diretamente da Grécia

Anônimo disse...

Oi Paulinho!


Estou chocada!

A primeira vêz que montei num trio foi com a presença de Saul.

Cilene Steeg

Obs: Diretamente da França

Anônimo disse...

Paulinho mue amigo !
Que tristeza não ter o meu querido amado e eterno amante Saul. É muito dificil para mim acordar e ter esta lembrança. Saul que me levou aos palcos, foi o meu mestre, irmão que esteve na minha vida desde os meus 6 anos de idade quando ele tocava no quintal da minha casa na banda Irmaãos Metralhas de Renato e Romário Carlos meus irmãos. O Auto do Descobrimento ... como posso eu me esquecer daqueles lindos dias, das tocadas e shows que fizemos juntos em praças publicas de Ilheus em cima de um caminhão (o palco), eu, Saul, Renato, Jonga, Itasussi, Abilio e muitos outros alguns como voce disse já não estão mais aqui. Ai como eu sinto a falta do meu eterno amado amante Saul! Como eu queria acalentá-lo agora!... preciso de voce assim como eu preciso de respirar, a maresia o cheiro doce que vem al do mar.... Minha mae dona Maria... todos os dias nos conversavamos no telefone em Salvador combinando dar um neto a Dona Lourdes, hahaha, era o que ele mais falava, vamos dar um neto a Dona Lourdes um sarara crioulo, um morenhinho, nossa como a gente dava risadas.... muitas risadas..... e as lindas serenatas para os ricos que faziamos e nas praias do Sul de Ilheus.... altas horas, atos sons.... No dia em que Elis Regina foi declarada morta as 20:00 hs nos estavamos em cima de um caminhão na avenida Soares Lopes em frente a praça São Jorge fazendo um show e eu cantei uma musica dela em homenagem a ela. Nunca esqueci este dia! Saul aonde quer que voce esteja eu sempre estarei perto de ti, pois enquanto vivo foi sempre assim, mesmo quando eu estava em New York voce esteve la com a Simone Moreno e nos divertimos muitos e ficamos juntos portanto nem mesmo a maior distancia nunca existiu entre nós. Longe é um lugar que nunca existiu entre Saul e eu(Jânia Carvalho). Muito amor muita luz para voce meu amado!

Jania Carvalho

Pedro Oscar Piauhy Müller disse...

Linda homenagem Paulinho !Quando soube logo pela manhã que nosso amigo Saul havia ido alegrar com sua arte ímpar os céus, fui tomado de uma nostalgia boa, saudosa...de tempos idos em nossa amada São Jorge dos Ilhéus !!!...abri meu baú de "preciosidades" e achei o LP "Auto do Descobrimento".Fiz parte do projeto como ator, e com dor no coração,vi que a modernidade faz com que poucos tenham hj em dia um toca discos em casa ! Não pude escutar ! Mas quantas SAUDADES! Dele, de Pedrinho, Jonga...agora eles fazem a mais pura arte junto ao SENHOR!!!
AXÉ meus eternos amigos !!!

Andréa Dias disse...

Como o céu é feliz!
Pessoas como Reizinho, nosso sempre querido Lulinha Armstrong, Jorginho Lago, Jonga Fialho que eu não sabia que já não estava mais aqui também, Silvia Pithágoras - minha grande parceira e quase comadre, e tantos nomes maravilhosos da nossa música, agora Saul Barbosa para ser mais uma estrela a bilhar nessa constelação.
Andréa Dias
Nossa alegria diminuiu, mas não acaba, pois podemos continuar pois..."todo menino do Pelô sabe tocar tambor..." e vai continuar tocando em sua homenagem.

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Anônimo disse...

PPP....HÁ QTO TEMPO! QUERIA LHE AGRADECER PELO LINDO MODO DE FALAR SOBRE PAINHO.AFINAL,SEI QUE SÃO PALAVRAS VERDADEIRAS.
GOSTARIA QUE SOUBESSE QUE, DURANTE OS LONGOS ANOS EM QUE CONVIVEU COM A IRC,PAINHO SEMPRE SE MANTEVE DIGNO,DE CABEÇA ERGUIDA E MUNIDO DE UMA VIVACIDADE E DE UM BRILHO QUE EU NUNCA VÍ ANTES. É BOM QUE SE SAIBA QUE ESSA IMAGEM DE HOMEM DEBILITADO,NUNCA EXISTIU.PELO CONTRÁRIO,A VIDA DE MEU PAI SÓ "MELHOROU", DEPOIS QUE ELE ADQUIRIU ESSA DOENÇA. SÃO OS MISTÉRIOS DA VIDA, NÉ? E ELE FOI UM GRNADE GUERREIRO, ATÉ O ÚLTIMO MOMENTO,NAQUELE LEITO DE UTI,RESISTINDO À TUDO PARA QUE EU TIVESSE TEMPO DE ME PREPARAR PARA SUA PASSAGEM.SER TOTALMENTE FEITO DE AMOR, MÚSICA E LUZ.ESTOU EXTREMAMENTE ANSIOSA POR ESSE ACERVO DE FOTOS QUE VOCÊ TEM, AFINAL, LIS PRECISA CONHECER A HISTÓRIA DO AVÔ.POR FAVOR, ENTRE EM CONTATO.SAUDADES
NENA